sábado, 28 de maio de 2011

Murmúrio


quando duas árvores nascem muito juntas, pode-se saber que há projetos.

talvez elas queiram construir uma nova brasília, pensem num novo protótipo de elevadores ou planejem um engenho de açúcar.

o cauteloso é que o encontro entre as duas copas é quente.

e num ritmo acelerado, ritmo que os pés não conseguem criar, e mente nenhuma pode conceber em uma vida, elas cantam caladas. elas não poderiam dizer.

(AMANDA ALVES DE ANDRADE E AGUIAR)

3 comentários:

  1. O horror é uma das especialidades do blog. De vez em quando esbarra na falsa modéstia, irmã adorável do talento e adotiva da hipocrisia (rsrs).

    ResponderExcluir